inflação dos alimentos

Inflação dos alimentos em alta, conforme índice de preços da Ceagesp

A inflação dos alimentos, medida pelo índice de preços da Ceagesp, apresentou forte alta em agosto de 2018!

O Índice de preços da Ceagesp encerrou o mês de agosto com alta de 5,86% em relação ao mês anterior. Todos os setores apresentaram alta, com exceção do setor de diversos.

O setor de verduras apresentou alta de 9,35%, mas vale notar que o mesmo vinha de três baixas seguidas. A expressiva alta nos preços dos legumes, que atingiu 20,86%, foi devida ao frio, com destaque para produtos que subiram mais de 50%: pepinos, abobrinhas, e pimentões.

Em agosto, o setor de frutas apresentou elevação de 4,22%. As principais altas ocorreram com os preços do figo (45,3%), do mamão havaí (29,8%), da goiaba branca (28,9%), da laranja lima (25,3%), da atemoia (23,3%) e do caju (21,9%). As principais quedas ocorreram com o melão amarelo (-13,0%), com a banana prata (-8,9%), com a jaca (-6,5%), e com a ameixa argentina (-6,1%).

E o setor que mais contribuiu para a inflação dos alimentos foi o de legumes que, registrou alta expressiva de 20,86%. As principais elevações ocorreram com os pepinos japonês (91,6%), caipira (61,7%) e comum (45,5%), com os pimentões vermelho (83,2%) e amarelo (59,3%), com as abobrinhas brasileira (55,8%) e italiana (50,8%), com o tomate cereja (47,4%) e com o jiló (39,2%). As baixas foram registradas apenas nos preços do chuchu (-7,7%) e do inhame (-1,4%).

O setor de verduras apresentou forte alta de 9,35%. As principais elevações ocorreram com o brócolos ramoso (35,0%), com o milho verde (24,6%), com a escarola (23,9%), com a rúcula (15,4%), com a alface crespa (15,0%) e com o rabanete (14,6%). As principais quedas ocorreram com os preços do salsão (-9,0%), da beterraba com folhas (-7,1%), do coentro (-6,0%) e da alface crespa hidropônica (-5,1%).

O setor de diversos apresentou forte baixa de 7,79%. As principais quedas ficaram por conta da cebola nacional (-21,3%), do alho nacional (-18,7%), da batata beneficiada lisa (-18,6%), dos alhos estrangeiros argentino (-12,8%) e chinês (-11,7%) e do coco seco (-11,6%). As principais altas ocorreram nos preços da batata comum (8,7%) e da canjica (4,5%).

O setor de pescados subiu 1,39%. As principais elevações foram registradas nos preços da anchova (36,9%), do camarão ferro (19,3%), da lula congelada (14,3%), da tainha (13,0%) e do robalo (11,3%). As principais quedas ocorreram com o polvo (-18,0%), com a sardinha congelada (-17,2%), com a pescada (-11,4%), com a pescada tortinha (-9,9%) e com a sardinha fresca (-9,4%).

O volume comercializado no entreposto de São Paulo totalizou, no acumulado do ano, 2.001.882 toneladas. A greve dos funcionários da Ceagesp, iniciada em 25 de julho e que perdurou até o dia 6 de agosto, prejudicou a coleta das notas de entrada de mercadorias, o que impossibilitou a apuração do real volume que entrou no Entreposto durante o mês, já que as mercadorias continuaram a chegar normalmente. O volume apurado no mês foi de 207.462 toneladas.

No acumulado do ano, a inflação dos alimentos medida pelo índice de preços da Ceagesp, acumula alta de 2,90%. A continuar as temperaturas frias durante este mês, os preços tendem a se manter nos patamares que estão. Se ocorrerem geadas nas áreas produtoras, podem ocasionar perdas de produção com consequentes altas pontuais nos preços.

Saiba mais do Festival do Pescado e Frutos do Mar Ceagesp 2018! Clique aqui!

Adaptado da Ceagesp

Siga o Foodnews, o canal de notícias da gastronomia!

Inflação dos alimentos em alta, conforme índice de preços da Ceagesp was last modified: by

Especialista em produção animal e interessado em fornecedor conteúdo de qualidade para o setor de alimentação fora do lar!