mercado do arroz

Retrospectiva do mercado do arroz em 2018 no Brasil

O Foodnews destaca para a retrospectiva do mercado do arroz no País em 2018, segundo análise do Cepea!

O mercado do arroz voltou a sentir a pressão sobre as cotações em 2018, resultado especialmente das dificuldades de alavancar o consumo interno, segundo informações do Cepea, da Esalq/USP.

Os preços em queda no primeiro semestre, devido ao período de colheita e da maior negociação do cereal, pressionaram a média anual, que fechou em R$39,79/sc de 50 kg, em termos nominais, baixa de 2% frente à média de 2017 (R$40,60/sc de 50 kg).

As cotações de arroz tiveram quedas mais expressivas no primeiro trimestre do ano, diante da expectativa da maior disponibilidade da safra 2017/18. Com isso, indústrias reduziram suas ofertas e os pedidos dos setores atacadista e varejista dos grandes centros se voltaram apenas para pequenas reposições.

De março a maio, com o avanço lento da colheita, as negociações foram intensificadas, devido à necessidade de repor estoques, e compradores elevaram suas ofertas – esse cenário foi reforçado com a paralisação dos caminheiros, visto o desabastecimento dos grandes centros consumidores. Além disso, foram registrados novos contratos de exportação para meados do ano, dando nova sustentação aos preços. A desvalorização do Real frente ao dólar favoreceu os embarques, com aumento de 17,1% de 28 de dezembro/17 a 28 de dezembro/18.

No segundo semestre, os preços do casca seguiram firmes, pois algumas indústrias ainda apresentavam necessidade de repor seus estoques. Orizicultores, por sua vez, atentos aos embarques externos e diante do aumento dos gastos com insumos para o semeio da nova lavoura (safra 2018/19) se retraíram. Entretanto, a partir de outubro até dezembro, indústrias aumentaram seus estoques e se afastaram do mercado, fazendo com que produtores com necessidade de “fazer caixa” aceitassem efetivar negócios a valores menores – a liquidez do produto em casca e do beneficiado foi baixa nesse período.

A produção da temporada 2017/18 foi estimada em 12,06 milhões de toneladas, 2,1% menor que a da safra anterior, segundo dados da Conab. Somado aos estoques iniciais em fev/18, de 711,8 mil toneladas, e às importações de um milhão de toneladas entre março/18 e fevereiro/19, a disponibilidade interna ficaria em 13,9 milhões de toneladas. Desse total, a previsão é que 11,8 milhões sejam consumidos internamente e 1,2 mil toneladas, exportados. Assim, o estoque final seria de 775,8 mil toneladas em fev/19, levemente superior ao de fev/18.

De janeiro a dezembro, as exportações ficaram 108% maiores que as do mesmo período de 2017, somando 1,8 milhão de toneladas em eq. casca. O arroz em casca, n/parboilizado foi o mais vendido, com 39,5% do volume total de 2018; seguido pelo arroz quebrado (33,4%).

E por falar no mercado do arroz, o Foodnews apresenta dados da expectativa de produção e consumo de feijão e arroz no Brasil nos próximos 10 anos. Afinal, o que esperar da produção e do consumo de feijão e arroz no País na próxima década? Clique aqui e confira!

Você sabia que o mercado brasileiro já oferece diferentes tipos de arroz? Arroz preto, vermelho e selvagem são alguns deles. E existem diferenças nutricionais entre esses diferentes tipos de arroz, como o arroz preto e o arroz branco? Clique aqui e confira!

Adaptado do Cepea

Siga o Foodnews, o canal de notícias da gastronomia!

Retrospectiva do mercado do arroz em 2018 no Brasil was last modified: by

Especialista em produção animal e interessado em fornecer conteúdo de qualidade para o setor de alimentação fora do lar!